Jardim Vertical

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Os jardins verticais, também conhecidos como jardins suspensos, foram criados afim de amenizar a falta de áreas verdes nos centros urbanos e modificar paisagens com lugares pequenos e nada mais é que um jardim fixado em muros ou suspenso por suportes instalados na vertical.
 
A fachada externa verde é uma ótima forma de revitalizar casas e edifícios e atua no combate das ilhas de calor urbano. No caso do jardim estar instalado no lado interno, a parede verde pode purificar e limpar o ar, pois retém os compostos orgânicos voláteis (COV), materiais particulados, fumaça de cigarro, além de manter o conforto térmico agradável. 
 
Podemos utilizar essa técnica também em casa de uma maneira simples com suportes já prontos ou utilizando materiais reciclados para plantar temperos, ervas, suculentas e flores, aproveitando espaços que não são utilizados e matendo o contato com a natureza no dia a dia.
 
É importante saber escolher a espécie de planta correta para cada lugar levando em consideração a iluminação. Algumas opções de espécies são: 
 
Espécies de plantas para jardim vertical - Sol Pleno: 
  • Aspargo-pluma (Aspargus densiflorus)
  • Barba-de-serpente (Ophiopogon jaburan)
  • Brilhantina (Pilea microphylla)
  • Colar-de-pérolas (Senecio rowleyanus)
  • Clorofito (Chlorophytum comosum)
  • Flor-canhota (Scaevola aemula)
  • Flor-de-coral (Russelia equisetiformis)
  • Hera-inglesa (Hedera helix)
  • Jibóia (Epipremnum pinnatum)
  • Lambari-roxo (Tradescantia zebrina)
  • Orquídea-grapete (Spathoglottis unguiculata)
  • Liríope (Liriope spicata)
  • Tilândsia (Tillandsia sp)
  • Trapoeraba-roxa (Tradescantia pallida purpúrea)

Espécies de plantas para jardim vertical - Meia Sombra:

  • Antúrio (Anthurium andraeanum)
  • Asplênio (Asplenium nidus
  • Babosa-de-pau (Philodendron martianum)
  • Barba-de-serpente (Ophiopogon jaburan)
  • Bromélia (Guzmania sp)
  • Columéia-peixinho (Nematanthus wettsteinii)
  • Chifre-de-veado (Platycerium bifurcatum)
  • Chuva-de-ouro (Oncidium sp)
  • Dedo-de-moça (Sedum morganianum)
  • Dinheiro-em-penca (Callisia repens)
  • Falenópsis (Phalaenopsis x hybridus)
  • Flor-batom (Aeschynanthus radicans)
  • Flor-de-maio (Schlumbergera truncata)
  • Liríope (Liriope spicata)
  • Peperômia (Peperômia scandens)
  • Rabo-de-gato (Acalypha reptans)
  • Ripsális (Rhipsalis bacífera)
  • Renda-portuguesa (Davalia fejeensis)
  • Samambaia (Nephrolepis exaltata)
  • Singônio (Syngonium angustatum)
  • Vriésia (Vriesea sp)
 
 


Como preparar sua própria horta

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O início de uma boa horta se da na preparação correta das mudas. Hoje podemos encontrar ótimas opções no mercado em sementes selecionadas, de alta produtividade, e com melhoramentos genéticos. Além desta opção também podemos recorrer as nossas próprias sementes retiradas dos frutos. Em ambos os casos, para que tudo vegete bem é necessário se atentar para o substrato onde serão plantadas. 
 
O substrato é importante pois é ali que a planta irá iniciar sua nova vida, e esta etapa requer certos cuidados para garantir que a semente desenvolverá seu máximo potencial.
 
Para escolha de um bom substrato agumas características são relevantes, dentre elas estão: baixa densidade; boa aeração; elevada capacidade de retenção de água; boa drenagem e isenção de fitopatógenos.
 
 

Após a escolha correta do substrato você já pode colocá-lo em copinhos, bandejas ou vasos e adicionar as sementes da sua futura horta.